Coreia do Norte vendendo armas para Síria e Myanmar

A Coreia do Norte violou as sanções da ONU para lucrar cerca de 200 milhões de dólares em 2017 com a exportação de commodities proibidas, de acordo com um relatório confidencial de monitores independentes da ONU, que também acusou Pyongyang de fornecer armas à Síria e a Myanmar.

O relatório destinado ao comitê de sanções do Conselho de Segurança da ONU, visto pela Reuters na sexta-feira, 2 de fevereiro, disse que a Coreia do Norte enviou carvão para diversos portos, incluindo na Rússia, China, Coreia do Sul, Malásia e Vietnã, usando principalmente documentos falsos que mostravam países como a Rússia e a China como a origem do carvão ao invés da Coreia do Norte.

O conselho de 15 membros aprovou por unanimidade sanções contra a Coreia do Norte desde 2006, com o objetivo de sufocar o financiamento dos programas nucleares e de mísseis balísticos de Pyongyang, proibindo muitas de suas exportações, incluindo carvão, ferro, chumbo, têxteis e frutos do mar, e limitando as importações de petróleo bruto e produtos de petróleo refinado.

A Coreia do Norte já está ignorando as resoluções mais recentes por meio da exploração global da cadeia de fornecimento de petróleo, de estrangeiros cúmplices, do registro de empresas offshore e do sistema bancário internacional”, disseram os monitores da ONU no relatório de 213 páginas.

A missão norte-coreana nas Nações Unidas não respondeu imediatamente a um pedido de comentários sobre o relatório da ONU. Rússia e China disseram repetidamente que estão implementando as sanções da ONU contra a Coreia do Norte.

 

Leia o restante deste texto no site da Epoch Times.
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *