Higiene muito precária em escola islâmica na Inglaterra

Organização de vigilância educacional no Reino Unido descobriu que uma escola primária islâmica não fornecia papel higiênico para seus alunos e tinha livros proibidos escritos por um extremista muçulmano em sua biblioteca.

A escola primária Olive Tree, uma instituição islâmica privada de ensino na cidade de Luton, já havia sido avisada em maio de 2017 para remover livros “inapropriados” que não “promovam os valores britânicos”, mas o material foi encontrado novamente durante uma segunda inspeção em novembro.

Embora os líderes da escola tivessem declarado que os livros haviam sido removidos, os inspetores encontraram as mesmas obras durante a nova inspeção.

“Os livros foram escritos por um autor que está proibido de entrar aqui, e foi expulso de vários países, incluindo a Grã-Bretanha”, confirmou a organização Ofsted.

A escola, que ensina cerca de 80 crianças de 5 a 11 anos, também foi criticada pela higiene precária, com as crianças tendo que lavar seus talheres nas pias do banheiro. A falta de lixeiras obrigava os alunos a jogar os restos de comida pelas janelas do banheiro, com os detritos apodrecendo ao ar livre.

No banheiro dos meninos, não havia papel higiênico, sabão ou qualquer utensílio para secar as mãos. Os alunos precisavam pedir por papel para o professor na sala de aula.

“Pouco se faz para manter um ambiente limpo e promover boas noções de higiene”, acrescentou o relatório.

 

Com informações de: [Breitbart]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *