108 mortos na Nicarágua em violenta repressão do governo Ortega

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O número de mortos durante os protestos contra o presidente Daniel Ortega na Nicarágua subiu para 108, de acordo com a ONG Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh).

O número de vítimas passou de 100 depois que pelo menos 25 pessoas morreram nos últimos dias em atos de violência em várias cidades do país da América Central, disse à Agência Efe um porta-voz do Cenidh.

A organização humanitária disse que as mortes, em geral, mantiveram o mesmo padrão, de disparos certeiros na cabeça, no pescoço ou no tronco, traços típicos de execução.

A ONG argumenta que as mortes associadas à crise da Nicarágua tem no esquerdista Daniel Ortega, líder há décadas do partido marxista Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), o seu principal responsável, na sua qualidade de chefe supremo da Polícia Nacional e líder das forças governistas.

A Nicarágua atravessa uma crise sociopolítica que teve como estopim as manifestações contra reformas na previdência emitidas pelo presidente.

Mesmo com a queda da reforma, os protestos continuaram, principalmente por causa da violenta repressão imposta pelo governo Ortega contra estudantes, que foi constatada e condenada pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos e Anistia Internacional.

 

Com informações de BOL

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.