- PUBLICIDADE -

32 anos atrás, comunistas mataram milhares em protesto na China

32 anos atrás, comunistas mataram milhares em protesto na China
- PUBLICIDADE -

Manifestantes pacíficos foram brutalmente assassinados pelo Partido Comunista da China.

No dia 4 de junho de 1989, a China encerrou de forma brutal o protesto em massa por liberdade e democracia na Praça da Paz Celestial.

Após o batalhão estacionado na capital chinesa se negar a cumprir as ordens para acabar com a manifestação pacífica por liberdade e democracia, um grupo de soldados do interior da Mongólia, com seus experientes oficiais que haviam lutado no Vietnã, efetuaram o massacre.

Os manifestantes pacíficos, que estavam acampados no centro de Pequim, foram atacados por tanques de guerra e executados por soldados portando metralhadoras.  

Uma jornalista da Alemanha, que deixou a China às pressas na ocasião, relatou à emissora DW que viu na rua cerca de 500 universitários com flores brancas e pretas nas roupas, em sinal de luto. 

Todos foram atropelados pelos tanques“, relatou a repórter.

Massacre na Praça da Paz Celestial

Os tanques invadiram a praça, atropelaram os manifestantes e atiraram em tudo o que se movia, promovendo um verdadeiro banho de sangue. 

Até hoje, não se sabe o número exato de mortos, mas a violência do Partido Comunista, com certeza, resultou em milhares de mortos e feridos.

Enquanto isso, 32 anos depois, artistas privilegiados do Brasil, do alto de suas “torres de marfim”, atacam aqueles que alertam sobre os delírios do comunismo.  

Curiosamente, lá na China, até hoje em dia, também não é permitido comentar sobre o Massacre da Praça da Paz Celestial.

Será este o sonho dos pseudo-intelectuais brasileiros?  

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -