Português   English   Español

A poderosa influência da China na grande mídia da Alemanha

Poder dos chineses pode ser percebido também na mídia alemã, com encartes em grandes jornais e até serviço próprio na maior agência de notícias do país. Veículos descartam riscos a sua isenção editorial.

Cada vez com mais frequência, o regime comunista da China é acusado de interferir na política interna de outros países.

Na quarta-feira passada (26), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou durante seu discurso no Conselho de Segurança da ONU haver indícios de interferência da China nas próximas eleições americanas em novembro de 2018.

Também na Alemanha, a China é repetidamente acusada de influenciar deliberadamente a opinião pública. Nesse contexto, uma newsletter da agência de notícias alemã DPA do final de julho deste ano chamou a atenção.

Muitos clientes do veículo receberam uma mensagem comunicando que a DPA passaria a acolher, em seus próprios canais de distribuição, notícias fornecidas pela agência de notícias oficial de Pequim, a Xinhua. Esses textos informariam sobre a chamada Nova Rota da Seda (Belt and Road Initiative, ou BRI) – projeto que é a menina dos olhos do presidente Xi Jinping – de uma perspectiva chinesa.

Quando o especialista em política midiática chinesa David Bandurski leu esse comunicado, ficou alarmado. Ele afirmou:

A DPA é uma instituição jornalística e agora se deixa envolver com uma agência que tem a obrigação de promover a BRI e a política externa da China.

Através da cooperação com a DPA, a Xinhua, vista como porta-voz do governo chinês, quer ganhar mais influência no exterior.

Num comunicado divulgado em maio, a Xinhua afirma que a cooperação ajudará os clientes da DPA a perceberem as oportunidades oferecidas pela BRI. A agência também espera elevar sua influência com a parceria, especialmente nos países de língua alemã.

Não é a primeira vez que a China tenta fortalecer sua influência midiática no Ocidente. Geralmente isso acontece por meio de suplementos que parecem veicular notícias, mas que na verdade são anúncios.

 

Adaptado da fonte DW

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter