A tecnologia que Israel ofereceu a Bolsonaro para o Nordeste

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A escassez de água sempre foi um sofrimento para Israel. O país está localizado em uma região desértica, com clima entre tropical e semiárido e escassas fontes naturais de água doce.

Uma das principais estratégias do governo israelense tem sido investir na construção de usinas de dessalinização. Atualmente, cerca de 80% da água potável consumida pela população israelense é proveniente do mar.

A busca por segurança hídrica levou o governo de Israel, em 2011, investir US$ 500 milhões para erguer a usina Soreq e aumentar a quantidade de água doce para abastecimento público no país, captando água do Mar Mediterrâneo.

Localizada a 15 quilômetros ao sul de Tel Aviv, Sorek produz 624.000 m³ por dia de água doce, o que representa 7,23 m³/s, suficientes para abastecer uma cidade com população de mais de 2 milhões de habitantes.

A usina foi erguida pela IDE Technologies, companhia israelense. E a tecnologia utilizada para dessalinizar a água é a de osmose reversa.

Usina de dessalinização Sorek, em Tel Aviv, Israel

Relações de Israel com o Brasil

Em janeiro deste ano, tomamos conhecimento que Israel estava buscando intensificar as relações com o Brasil para oferecer equipamentos e tecnologia de dessalinização de água.

O embaixador israelense no Brasil, Yossi Avraham Shelley, disse que as negociações sobre transferência da tecnologia vêm sendo lideradas por empresários israelenses diretamente com estados como o Ceará e Maranhão, que sofrem com a seca da região Nordeste.

“Os empresários israelenses estão em posição de vantagem porque conseguem processar um litro de água dessalinizada por um preço menor do que o valor regular disponível nos mercados”, destacou o diplomata de Israel, segundo informações da Agência Brasil.

A reportagem abaixo do Canal Rural é bastante elucidativa e explica como a técnica israelense de dessalinização pode ser utilizada no Nordeste brasileiro.

Possível parceria com o governo Bolsonaro

Na visita que fez ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), o embaixador israelense Yossi Shelley afirmou que esta tecnologia pode ser utilizada para solidificar parceria entre os dois países, ajudando a solucionar o problema da seca no Nordeste.

O diplomata de Israel anunciou a intenção do governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu bancar a instalação de uma usina piloto de dessalinização de água do mar na região, que sempre está sofrendo com períodos de seca intensa.

Quem sabe líderes de Brasil e Israel não possam conversar pessoalmente sobre esta possibilidade no dia 1 de janeiro de 2019?

A presença do premiê israelense “Bibi” na posse do presidente Bolsonaro é uma possibilidade, conforme noticiou a Renova Mídia. Caso a viagem venha a se concretizar, ela será a primeira visita de um líder de Israel ao Brasil desde a criação do Estado judeu, em 1948.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.