Aborto e eutanásia corrompem a civilização humana, diz Vaticano

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

"O aborto, a eutanásia e o suicídio voluntário corrompem a civilização humana”, diz carta aprovada pelo Papa.

A carta “Samaritanus bônus” foi publicada, nesta terça-feira (22), pela Congregação para a Doutrina da Fé, com a aprovação do Papa Francisco.

O texto discute questões relacionadas ao fim da vida e define a eutanásia e o suicídio assistido como “crimes contra a vida”:

“São gravemente injustas, portanto, as leis que legalizam a eutanásia ou aquelas que justificam o suicídio e a ajuda para isso, pelo falso direito de escolha de uma morte que se define impropriamente só porque foi escolhida. Tais leis atingem o fundamento da ordem jurídica: o direito à vida, que dá base para qualquer outro direito, incluindo o exercício da liberdade humana.”

Ainda de acordo com a carta:

“Incurável não é jamais sinônimo de ‘incuidável’ porque todas as pessoas que sofrem de uma doença terminal assim como os que nascem com uma previsão limitada de sobrevivência têm o direito de “ser acolhido, cuidado e rodeado de afeto.”

Segundo a agência ANSA, o texto também cita diretamente os procedimentos abortivos como uma forma de corrupção:

“O aborto, a eutanásia e o suicídio voluntário corrompem a civilização humana, desonram aqueles que assim procedem do que os que os padecem; e ofendem gravemente a honra devida ao Criador.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.