Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Aborto não é mais crime na Coreia do Sul

EUA cortam recursos da OEA por causa de defesa do aborto
COMPARTILHE

O aborto não é mais uma prática ilegal na Coreia do Sul a partir deste primeiro dia de 2021.

O aborto não é mais uma prática ilegal na Coreia do Sul a partir deste primeiro dia de 2021.

A lei que criminalizava o aborto foi retirada nesta sexta-feira, 1° de janeiro de 2021, da legislação do país.

Anteriormente, a interrupção voluntária da gravidez só era aceita para vítimas de estupro ou em casos de risco à saúde da gestante.

Agora, o aborto é extensivo a todas as mulheres.

Enquanto isso, o movimento pró-vida está reagindo e se organizando para que muitas emendas sejam aprovadas.

Primeiro, para proibir o aborto depois de seis ou dez semanas de gravidez e, em seguida, para que os médicos tenham a opção de recusar a realização do aborto.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
2 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Pedro Rocha
Pedro Rocha
14 dias atrás

Tivemos uma esperança de melhoria entre 2016 e 2020 com as vitórias nas eleições de Trump e Bolsonaro, mas o “sistema” reagiu a nossa “rebelião” e está derrotando Trump e fez Bolsonaro nos trair e se render para não perder o cargo

1914 foi o fim da Sociedade Cristã Ocidental e 1945 foi o primeiro grande passo do “sistema internacional”. Agora, 2020 foi o segundo grande passo do aumento do totalitarismo no mundo.

Valdir
Valdir
14 dias atrás

Prevejo ranger de dentes para os países que parecem estar sincronizados nessa barbárie. Que possam ter a mesma determinação e capacidade para assumir e aceitar as consequências de seus atos, que certamente não serão muito boas.

PUBLICIDADE