Acadêmico islâmico preso em Paris por estupro de 2 mulheres

O acadêmico islâmico suíço Tariq Ramadan foi preso nesta quarta-feira (31/01) acusado de estuprar duas mulheres na França.

Tariq Ramadan, muçulmano de nacionalidade suíça, foi detido esta manhã e sobre ele pesam duas denúncias de agressões sexuais que produziram uma incapacidade temporária, apontaram as fontes do UOL Notícias.

Em outubro de 2017, a justiça da França havia aberto procedimento contra Tariq Ramadan após duas mulheres denunciá-lo e várias outras anunciarem que estudavam fazer o mesmo.

Duas mulheres acusam-no de tê-las estuprado em 2009 e 2012. Tariq Ramadan nega categoricamente as acusações.

A primeira a formalizar a denúncia foi sua antiga seguidora Henda Ayari, que contou a diversos veículos de imprensa franceses como foi “vítima de uma grave agressão sexual” em março de 2012 em Paris.

A segunda denúncia contra Ramadan foi apresentada alguns dias depois da primeira por outra mulher que afirma ter sido estuprada em 2009 em um hotel na cidade de Lyon, no leste da França.

Ramadan denuncia então o que chama “uma campanha de calúnias”, da qual seus “inimigos de sempre” estão por trás.
Com informações de: [IstoE, UOL]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia