Agente do FBI quis impedir Trump de chegar à Presidência

Um relatório do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre as ações do FBI em investigações relacionadas a Hillary Clinton e Donald Trump revelou o viés esquerdista de membros da agência.

Um agente do FBI sugeriu, em uma mensagem escrita três meses antes da eleição presidencial de 2016, que impediria que o candidato republicano fosse eleito à Casa Branca.

De acordo com o relatório, o agente em questão era o investigador Peter Strzok. Em uma troca de mensagens em agosto de 2016 com a advogada do FBI Lisa Page, com quem tinha um relacionamento na época, os dois demonstraram uma posição contrária a Trump.

“[Trump] Não vai virar presidente nunca, certo? Certo?”, escreveu Lisa Page.

“Não. Ele não vai. Vamos impedir isso”, respondeu Peter Strzok.

Peter é apontado como investigador central de dois importantes inquéritos do FBI: a apuração sobre os e-mails vazados de Hillary Clinton, antes da eleição de 2016, e a posterior investigação de um possível complô entre membros da campanha de Donald Trump e agentes russos nessa mesma eleição.

O agente do FBI foi dispensado do trabalho nas investigações após essas acusações.

Desde o início da investigação sobre a ligação russa e membros de sua campanha, Trump acusa o FBI e políticos democratas de comandar uma operação de “caça às bruxas” para lhe tirar da Presidência.

O relatório divulgado nesta quinta-feira (14) reforça ainda mais as acusações do presidente dos Estados Unidos.

 

Com informações de BOL
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia