- PUBLICIDADE -

AGU garante legalidade de norma que proíbe aditivos em cigarros

Governo cria grupo para estudar redução de tributação de cigarro

A norma proíbe a importação e comercialização de aditivos em produtos derivados do tabaco.

- PUBLICIDADE -

A Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu manter a legalidade do ato da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proíbe o uso de aditivos em produtos derivados do tabaco. 

Substâncias sintéticas e naturais que “possam conferir, intensificar, modificar ou realçar sabor ou aroma do produto”, além de aditivos com alegadas propriedades estimulantes, nutricionais e adoçantes, são afetados diretamente pela medida.

A decisão, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), foi obtida após recurso da AGU contra sentença que havia anulado a Resolução da Diretoria Colegiada nº 14/2012 sobre o tema.

Ao defender a legalidade da norma, a AGU argumentou que a Anvisa agiu dentro dos limites de seu poder normativo, outorgado constitucional e legalmente. 

De acordo com a Advocacia-Geral, trata-se de questão técnica de vigilância sanitária que se insere na esfera de sua competência regulamentar.

A AGU também comprovou que a norma da Anvisa atende à Convenção-Quadro da Organização Mundial da Saúde para o Controle do Tabaco, assinada por 176 nações, dentre os quais o Brasil

PUBLICIDADE

- PUBLICIDADE -

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -