Alckmin promete não nomear seus apoiadores envolvidos na Lava Jato

Idiomas:

Português   English   Español
Foto: Nelson Almeida / AFP
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin, disse que, caso seja eleito, não nomeará para ministérios os 41 investigados na Lava Jato que o apoiam.

A declaração foi dada durante entrevista à Rádio Globo, que durou cerca de 30 minutos.

A coligação encabeçada pelo tucano é composta por oito partidos além do PSDB: PP, PTB, PSD, SD, PRB, DEM, PPS, PR. De acordo com a TV Globo, essas legendas juntas têm 41 políticos investigados pela Lava Jato. Cinco das legendas (PP, PR, PRB, DEM e SD) fazem parte do chamado “centrão”.

Âncora do programa Redação Globo, a jornalista Rosana Jatobá fez a seguinte pergunta ao tucano:

Quando o senhor diz que quer um ministério padrão ético total, o senhor está dizendo para os eleitores que os 41 investigados na Lava Jato, que fazem parte dos partidos do ‘centrão’, não terão nenhuma pasta no seu novo ministério?

Geraldo Alckmin respondeu:

Exatamente. Nós vamos escolher os melhores quadros de cada partido.

Ainda sobre alianças, Alckmin foi indagado sobre se cederia ao PR, partido que tem o condenado no mensalão Valdemar Costa Neto como principal articulador, o comando do Ministério dos Transportes.

O tucano disse:

Não vai ter Ministério dos Transportes para ninguém.

E ressaltou:

Todos os partidos estão fragilizados. Na medida em que você tem 35 partidos, estão todos fragilizados.

 

Adaptado da fonte G1

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as últimas notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque