Alemanha deporta ex-guarda-costas de Bin Laden

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Tunisiano foi enviado de volta ao seu país de origem apesar de decisão contrária de tribunal alemão.

Pouco depois da deportação, a Justiça da Alemanha determinou que o procedimento foi ilegal e ordenou retorno, afirmando que ele corre risco de ser torturado.

Um ex-guarda-costas do terrorista da Al Qaeda, Osama bin Laden, foi deportado da Alemanha para a Tunísia nesta sexta-feira (13), apesar de uma ordem judicial que proibia a entrega dele ao seu país de origem por risco de tortura.

O homem, identificado pelas autoridades alemãs como Sami A., deixou Düsseldorf num voo fretado e já foi entregue às autoridades tunisianas, afirmou o Ministério alemão do Interior.

O muçulmano vivia na cidade de Bochum com uma esposa e um filho, ambos de nacionalidade alemã.

Sami A., que chegou ao país em 1997, é classificado pelas autoridades como uma pessoa de elevado risco à segurança pública, pois teria grande influência sobre jovens devido à sua condição de pregador religioso e por sua formação militar na Al Qaeda.

Renova Mídia já havia falado sobre a vida boa do parceiro de Bin Laden em continente europeu. Apesar de ser uma figura perigosa para a ordem pública, Sami recebia até benefícios sociais do governo alemão.

Com informações da DW

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.