Alto escalão do FBI e DOJ permitiu espionagem política

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O controverso memorando publicado pelo Congresso dos Estados Unidos indica que o FBI e Departamento de Justiça buscaram permissão para espionar a campanha de Trump utilizando informação comprometida, mesmo com o alto escalão da agência tendo conhecimento da fragilidade da fonte.

Em 21 de outubro de 2016, FBI e DOJ receberam uma permissão judicial FISA para espionar o cidadão norte-americano, Carter Page, voluntário na campanha presidencial de Donald Trump.

De acordo com a justiça americana, um pedido FISA de espionagem tem que ser renovado a cada 90 dias, com cada renovação sendo necessária uma nova evidência de que a vigilância era necessária.

O memorando apresenta o nome de figuras poderosas do FBI e do Departamento de Justiça que assinaram as ordens que resultaram na espionagem política da campanha republicana liderada por Trump.

James Comey, ex-diretor do FBI, indicado por Barack Obama
Andrew McCabe, ex-diretor do FBI por indicação de James Comey. Pediu demissão dias atrás
Sally Yates, ex-procuradora-geral no governo Obama
Dana Boente, membro bastante antigo do pântano de Washington
Rod Rosenstein, vice-procurador-geral apontado por Donald Trump. Responsável por nomear Robert Mueller procurador-especial.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.