Português   English   Español

América Central ignora campanha dos EUA contra imigração ilegal

América Central ignora campanha dos EUA contra imigração ilegal

Pobreza extrema, falta de oportunidades e violência de gangues levam moradores de El Salvador, Honduras e Nicarágua a tentar fazer a travessia ilegalmente rumo aos Estados Unidos.

A campanha de mensagens dos Estados Unidos para combater a imigração ilegal passou em grande parte despercebida pelos moradores da América Central.

Nove outdoors na região montanhosa do oeste da Guatemala, pagos pelo governo de Donald Trump, alertam os migrantes em potencial sobre os perigos da viagem ao norte. As autoridades disseram que também colocaram anúncios em rádio e televisão com avisos adicionais, a um custo total de cerca de US$750 mil.

Em toda a Guatemala, Honduras e El Salvador, o governo norte-americano está gastando cerca de US$ 1,3 milhão na campanha.

Entrevistas com mais de uma dúzia de pessoas na maior cidade do planalto guatemalteco e em várias cidades pequenas, porém, mostraram que poucos moradores viram ou ouviram as advertências. Muitas das pessoas entrevistadas disseram que, de qualquer maneira, não seriam persuadidas a ficar.

Uma campanha de mensagens paralela e muito mais poderosa feita pelos traficantes de pessoas está ressoando de boca em boca.

Moradores disseram que veem propagandas diárias dos contrabandistas, ou coiotes, que prometem levá-los aos Estados Unidos. Em pelo menos uma estação de rádio comunitária de Quetzaltenango, os traficantes oferecem regularmente transporte e ajuda para financiar as viagens dos migrantes para o norte.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo
Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Assine nossa newsletter...

Inscreva seu e-mail para receber atualizações diárias com as últimas notícias do Brasil e do mundo.

Fique tranquilo(a), assim como você, odiamos spam :) Você poderá remover seu e-mail a qualquer momento.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

Veja também...