Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

América do Sul tenta conter fluxo de refugiados venezuelanos

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

A revolta popular contra refugiados venezuelanos registrada no fim de semana na cidade de Pacaraima, em Roraima, representa apenas a ponta de um sério problema imigratório que atinge não só o Brasil, mas vários países da América do Sul.

A estimativa da Organização das Nações Unidas (ONU) indica que mais de 2,3 milhões de pessoas deixaram a Venezuela por causa da crise econômica que aflige o país.

A intensificação do fluxo de pessoas nos últimos meses está levando alguns países da região a restringir a passagem dos venezuelanos por suas fronteiras.

Peru e Equador adotaram na quinta-feira (16) restrições à entrada de pessoas que tentam fugir da crise no país governado pelo ditador Nicolás Maduro. Os dois países aceitarão apenas venezuelanos que tenham passaporte. Antes, qualquer cidadão que portasse documento de identidade podia ingressar nesses países.

Sem muito detalhamento, a Argentina também anunciou que implementará a partir de setembro um novo plano para um controle mais estrito do fluxo de imigrantes, a fim de regularizar a situação daqueles que entram de forma irregular no país.

Adaptado da fonte UOL

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias