Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Após resgatar ‘Halloween’, diretor pode dirigir continuação de ‘O Exorcista’

Após resgatar ‘Halloween’, diretor pode dirigir continuação de ‘O Exorcista’
COMPARTILHE

O novo filme de “O Exorcista” pode dar uma nova faceta ao clássico de 1973.

O diretor David Gordon Green está em negociações para dirigir uma sequência do clássico “O Exorcista“. 

O longa original, dirigido por William Friedkin, tornou-se uma sensação em 1973

Desde então, foi o filme de terror de maior bilheteria de todos os tempos — até ser destronado por “It – A Coisa“, em 2017.  

David Gordon Green: diretor pode fazer sequência de “O Exorcista” 

O novo filme de “O Exorcista” pode dar a continuidade ao relacionamento do diretor com os estúdios Blumhouse e Morgan Creek Productions, para quem ele dirigiu o “Halloween”, de 2018. 

O filme arrecadou US$ 255,8 milhões com um curto orçamento de US$ 10 milhões.  

Agora, após revitalizar a franquia, Green tem duas sequências a caminho: “Halloween Kills” (2021) e “Halloween Ends” (2022). 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Alyssa
Alyssa
23 dias atrás

Honestamente, acho que o Halloween de 2018 superou as minhas baixas expectativas no que diz respeito a estas continuações, remakes ou reboots que andaram fazendo nos últimos anos. Acho que forçaram muito a barra colocando a Laurie (Jaime Lee Curtis) como praticamente uma veterana da guerra do Vietnã, mas ok, ainda assim o filme agradou.
Quanto a essa continuação de O Exorcista, creio que estaria em melhores mãos se tivessem entregue ao diretor de Invocação do mal. Toda a equipe de Invocação do mal, para falar a verdade. Esse sim um filme de primeira qualidade que nada deve aos verdadeiros clássicos dos anos 70 e 80.

PUBLICIDADE