Português   English   Español

App do TSE recebe mais de 35 mil denúncias de irregularidades

App do TSE recebe mais de 35 mil denúncias de irregularidades

Criado em 2014 pelo TRE do Espírito Santo, Pardal foi usado anteriormente nas eleições municipais de 2016 e agora estreia em uma eleição geral.

O aplicativo Pardal, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já recebeu quase 36 mil denúncias de irregularidades eleitorais em 2018, segundo informações divulgadas pelo órgão.

Criado em 2014 pelo TRE do Espírito Santo, o app foi usado anteriormente nas eleições municipais de 2016 e agora está fazendo sua estreia em uma eleição geral.

Nas Eleições 2018, o Pardal está no ar desde agosto, mas o maior volume das denúncias foi registrado em 6 e 7 de outubro, justamente a véspera e o dia do primeiro turno da eleição, conforme o TSE.

As denúncias são enviadas pelos próprios eleitores, via smartphone e computador, e analisadas pela Justiça Eleitoral e pelo Ministério Público.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, a maior parte dessas denúncias (11.761) foram arquivadas pela Justiça Eleitoral – vale citar que cerca de 3.600 ainda estão em análise e outras 5.700 aguardam a leitura. Já o Ministério Público arquivou pouco mais de 4.400 denúncias e analisa 1.700 – mais de 18 mil ainda aguardam providências do MP.

Do total registrado até o último dia 10 de outubro, 21.357 das denúncias são relacionadas a propaganda eleitoral, enquanto que 7.990 delas são ligadas a crimes eleitorais diversos, 1.269 a casos de compra de votos e 167 a doações ou gastos irregulares.

Os dados divulgados pelo TSE apontam ainda que os eleitores relataram mais de 9 mil irregularidades em campanhas de deputados estaduais, 6.483 relativas a deputados federais, 1.924 ligadas a governadores e 1.038 a senadores.

Os estados de São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais lideraram as denúncias recebidas no período em questão, com 6.141, 3.650 e 2.344, respectivamente.

 

Adaptado da fonte IDGNow

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...