Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Apreender celular de Bolsonaro seria ‘inadmissível’, diz Heleno

General Augusto Heleno diz que Datafolha manipulou pesquisa
COMPARTILHE

“Poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”, alerta Heleno.

Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comentou, nesta sexta-feira (22), sobre o pedido encaminhado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Mello enviou ao procurador-geral Augusto Aras uma requisição apresentada por parlamentares de oposição para apreender o celular do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do filho Carlos Bolsonaro.

Em nota à nação brasileira, Heleno disse que apreender o celular de Bolsonaro seria uma “afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e interferência inadmissível de outro Poder” e que “poderá ter consequências imprevisíveis”.

O ministro-chefe do GSI afirmou que “o pedido de apreensão do celular do presidente da República é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável”.

O general fez um “alerta” para autoridades de outros Poderes de que “tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Confira abaixo a nota de Heleno:

Imagem: Reprodução/GSI

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários