Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Aras abre investigação sobre fogos contra prédio do STF

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Aras abre investigação sobre fogos contra prédio do STF
COMPARTILHE

Disparo de fogos de artifício contra o prédio do STF está na mira da PGR.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou, neste domingo (14), a abertura de uma notícia de fato criminal, procedimento que precede uma investigação formal, sobre o disparo de fogos de artifício contra sede do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ato foi promovido na noite de sábado (13) por membros do movimento “300 do Brasil”, liderados pela ativista Sara Winter, que foi presa¹ nesta segunda-feira (15) por motivo ainda desconhecido.

Aras atendeu a uma solicitação do presidente do Supremo, Dias Toffoli, que havia pedido² “a responsabilização penal daquele(s) que deu/deram causa direta ou indiretamente, inclusive por meio de financiamento, dos ataques e ameaças dirigidas ao STF”.

O PGR oficiou a Procuradoria da República do Distrito Federal (PRDF) para que informe³ ao vice-procurador-geral, Humberto Jacques, sobre qualquer procedimento ou providência adotados em relação ao episódio.

Uma portaria assinada na noite de ontem pelo procurador João Paulo Lordelo Tavares, que é auxiliar de Aras, determina ainda que sejam encaminhadas pela PRDF todas as informações a respeito de investigação aberta em maio contra Renan da Silva Sena.

À PGR, Toffoli pediu que Sena seja responsabilizado “por ataques e ameaças à instituição deste Supremo Tribunal Federal e ao Estado Democrático de Direito, inclusive por postagens em redes sociais”.

Referências: [1][2][3]
- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram