Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Araújo rebate ex-chanceleres que criticam política externa do Brasil

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Araújo diz que prisões na Venezuela são ‘ato de desespero’
Imagem: Reprodução/AFP
COMPARTILHE

Atual chefe do Itamaraty classificou os ex-chanceleres e os ex-ministros de “despeitados”.

Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores do Brasil, é alvo de uma campanha movida por grupo de ex-chanceleres e ex-ministros, que critica a sua forma de conduzir a política externa do país.

Em um debate por videoconferência, na noite de terça-feira (28), os membros do grupo teceram duras críticas à política externa do Brasil sob a administração do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Pela primeira vez, Araújo respondeu publicamente aos comentários do “grupo Ricupero”, em referência ao ex-ministro da Fazenda, Rubens Ricupero.

Em mensagem no Instagram, nesta quinta-feira (30), Araújo declarou:

“Ex-chanceleres e ex-ministros despeitados decidiram criar o ‘grupo Ricupero’ para falar mal de nossa política externa, que está ajudando o Brasil a se livrar da corrupção, da promoção de ditaduras, ou da letargia medrosa que caracterizaram as políticas deles ou dos seus governos.”

O chanceler acrescentou:

“O nome do grupo é dado por um de seus membros, Rubens Ricupero, que em 1994, quando Ministro da Fazenda, foi flagrado na parabólica confessando-se desonesto (‘eu não tenho escrúpulos’) e enganador do povo (‘o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde’). Além disso, Ricupero foi membro do Conselho de Administração da Odebrecht de 2004 a 2018, durante o auge dos escândalos de corrupção.”

E, citando novamente o ex-ministro Ricupero, Araújo complementou:

“Será que, como membro do Conselho administrador desse ninho de corrupção nacional e internacional, durante 14 anos, Rubens Ricupero aplicou ali os seus elevados princípios morais? Será que teve escrúpulos?”

O chefe do Itamaraty completou:

“O fato de que quatro ex-Ministros se juntem num grupo, sob tão indigna inspiração, para atacar a mim, que sou apenas um, muito me honra. Dessa laia podem vir quatro, podem vir quarenta, e eu os enfrentarei feliz, fiel ao Presidente Jair Messias Bolsonaro e ao povo brasileiro.”

- PUBLICIDADE -
Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM
Error: Embedded data could not be displayed.