Arqueólogos encontram resíduos de creme facial de 2,7 mil anos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O material analisado pode ser um dos primeiros cosméticos masculinos do país.

Um grupo de arqueólogos encontraram resíduos de uma substância datada do período chamado Primavera e Outono, entre os anos 770 e 476 a.C. 

A substância estava contida num pequeno recipiente de bronze, guardado dentro da tumba M49 do sítio Liujiawa, na província de Shaanxi, na região noroeste da China.  

A equipe descobriu posteriormente que tal produto, considerado raro, era utilizado como creme facial pelos homens da aristocracia.  

O resíduo encontrado pelos arqueólogos era feito de gordura adiposa de ruminantes combinada com a substância do “leite lunar” das cavernas, que tem sido usada para clareamento da pele. 

O material analisado, de 6 gramas e 2,7 mil anos, pode ser um dos primeiros cosméticos masculinos do país. 

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.