Associação Paulista do MP repudia xingamento de Ciro Gomes

A Associação Paulista do Ministério Público (APMP) repudiou as declarações recentes feitas pelo presidenciável Ciro Gomes contra uma uma promotora.

A entidade, que representa mais de 3.000 Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de São Paulo, da ativa e aposentados, veio a público repudiar as declarações feitas por Ciro Gomes.

O pré-candidato do PDT à Presidência se referiu de forma desrespeitosa a uma promotora do Ministério Público e, por consequência, “a toda a Instituição, fazendo gravíssimas ameaças às honrosas atividades ministeriais”.

O discurso foi feito durante uma sabatina realizada no dia 17 de julho pela Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). No época, Ciro acreditava que a denúncia por injúria racial havia sido aceita por um promotor do sexo masculino.

A nota de repúdio foi publicada no site oficial da Associação Paulista do Ministério Público (APMP):

É inaceitável qualquer referência de baixo calão a Membro do Ministério Público que atua no exercício constitucional de suas prerrogativas e no estrito cumprimento de seu dever. Da mesma forma, o comportamento do referido ex-Ministro atenta não só contra a independência funcional institucional, mas também contra o próprio Estado Democrático de Direito.

Dessa forma, além de repudiar com veemência as gravíssimas declarações, a APMP manifesta seu total apoio ao trabalho dos Promotores de Justiça e ao papel fundamental do Ministério Público, Instituição que, exatamente por cumprir seu mister e suas obrigações na defesa da sociedade, vem sendo alvo de constantes e perigosos ataques.

São Paulo, 18 de julho de 2018.

Diretoria da Associação Paulista do Ministério Público

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia