Áustria quer reduzir benefícios sociais oferecidos a imigrantes

Os planos do governo conservador preveem corte em salário social daqueles que não têm conhecimento médio de alemão e redução de benefícios pagos por filho. Projeto pretende tornar país menos atrativo a estrangeiros.

O governo da Áustria revelou nesta segunda-feira (28) seus planos para reduzir os benefícios sociais para imigrantes, incluindo refugiados e cidadãos da União Europeia (UE), com o objetivo de tornar o país menos atrativo à chegada de estrangeiros.

O ponto central da reforma é a redução do salário social para os imigrantes de 863 euros, valor integral recebido por austríacos, para 563 euros mensais.

Caso os imigrantes passem em uma prova de língua alemã de nível médio, poderiam receber o valor integral do benefício, com a soma de 300 euros como “bônus de qualificação laboral”.

O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, em entrevista coletiva, afirmou:

O idioma alemão deve ser a chave de acesso ao salário social integral.

A reforma estabelece ainda, como condição para o recebimento do salário social, ter vivido na Áustria cinco dos últimos seis anos antes de solicitação do benefício.

O projeto prevê também a redução dos benefícios pagos por filho a partir da segunda criança, o que afetaria famílias com muitos filhos.

 

Com informações de: [BOL]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia