Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

‘Auxílio emergencial depende do Congresso’, diz Guedes

Celular do ministro Paulo Guedes alvo de ataque hacker
COMPARTILHE

“Eu preciso de uma PEC de Guerra; preciso de uma ação do Congresso”, diz Guedes.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, condicionou a concessão de novas parcelas do auxílio emergencial à aprovação de uma nova Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de Orçamento de Guerra. 

Guedes disse que a PEC deve o autorizar a liberar as despesas sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal.  

A declaração foi feita nesta quinta-feira (11) durante entrevista concedida ao economista-chefe do banco de investimentos BTG Pactual, Mansueto Almeida.  

Guedes declarou: 

“Eu preciso de uma PEC de Guerra; preciso de uma ação do Congresso. Se eu gastar sem autorização, é quebra de Lei de Responsabilidade Fiscal, é quebra da regra de ouro. É um endividamento não permitido.” 

O ministro ressaltou que os gastos com o programa de ajuda aos necessitados em meio à pandemia devem ser compensados por medidas de ajuste fiscal, citando a hipótese de a pandemia se prolongar por muitos meses. 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Almanakut Brasil
Almanakut Brasil
14 dias atrás

PORTUGAL – Apoio alimentar do Estado já não consegue dar resposta a todos os pedidos em algumas zonas do país – 15/02/2021

“Portugal tem procurado junto da Comissão Europeia esclarecer todos os detalhes para implementar este modelo de forma compatível com a segurança exigida pelas regras comunitárias.”

https://expresso.pt/sociedade/2021-02-15-Apoio-alimentar-do-Estado-ja-nao-consegue-dar-resposta-a-todos-os-pedidos-em-algumas-zonas-do-pais