Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Banco de esperma da China procura ‘bons comunistas’

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Newborn babies lie in a baby room of a hospital in Shanghai in this July 10, 2006 file photo. China will ease family planning restrictions to allow all couples to have two children after decades of a strict one-child policy, the ruling Communist Party said on October 29, 2015, a move aimed at alleviating demographic strains on the economy. REUTERS/Stringer CHINA OUT. NO COMMERCIAL OR EDITORIAL SALES IN CHINAFROM THE FILES - "CHINA'S TWO CHILD POLICY"SEARCH "TWO CHILD" FOR ALL 14 IMAGES
COMPARTILHE

Propaganda divulgada recentemente por hospital da Universidade de Pequim vetava carecas e exigia que potenciais doadores apoiassem o Partido Comunista Chinês e o presidente Xi Jinping; ridicularizada na internet, campanha foi descontinuada.

A propaganda para doadores de esperma era exigente. Não seriam aceitos homens carecas. Nem com doenças hereditárias como daltonismo. E caso ainda houvesse alguma dúvida, o banco de espermas do Third Hospital da Universidade de Pequim esclarecia: apenas homens com um amor permanente pela “pátria socialista” deveriam se candidatar.

O esforço do presidente chinês, Xi Jinping, para restaurar o Partido Comunista Chinês para o centro da vida cotidiana no país fez com que banners com mensagens socialistas fossem espalhados pelas ruas da capital Pequim, estimulou a transmissão de raps nacionalistas nas rádios e a exibição de filmes patrióticos nos cinemas. Agora, Xi inspira um novo teste de lealdade partidária: a reprodução.

O anúncio colocado pelo banco de espermas do hospital, que havia sido amplamente divulgado nas redes sociais chinesas nos últimos dias, incluía também o apoio ao PC chinês e a Xi como seus principais requisitos para os potenciais doadores.

“A pessoa deve ter bons pensamentos ideológicos”, diz a peça publicitária ao descrever o doador ideal. “(Deve) amar a pátria socialista e apoiar a liderança do Partido Comunista Chinês”, continuava o texto.

Os homens que fossem aceitos como doadores poderiam receber até 5.000 renminbi, o equivalente a R$ 2.688. Em 2016, cerca de 19% dos candidatos que se apresentaram ao banco de espermas do hospital foram aceitos, segundo uma notícia da época.

Depois de ser amplamente ironizado nas redes sociais, o anúncio acabou removido.

“Amor pelo país e pelo partido (agora) começam desde esperma”, escreveu sarcasticamente um dos usuários do site Weibo, a versão chinesa do Twitter, ao comentar a peça.

 

Com informações de: [Estadão]

 

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM