Português   English   Español

Beto O´Rourke, o homem que pode derrotar Trump


Estamos separados da eleição presidencial dos Estados Unidos por um ano e oito meses. Ainda que falte um considerável período de tempo até lá, as especulações sobre os nomes do Partido Democrata para derrotar o presidente Donald Trump estão a todo vapor.

De centristas moderados a socialistas declarados, as opções são diversas e nada parece estar muito claro. Entretanto, um nome está a ganhar força por ter características caras ao eleitorado democrata e condições de motivá-lo a ir às urnas: Beto O´Rourke.

Beto foi congressista pelo estado do Texas (2013-2019). Ganhou notoriedade nacional com sua campanha ao Senado pelo mesmo estado. Concorreu com o senador republicano Ted Cruz – um peso-pesado da política americana muito popular entre eleitores conservadores e que quase ganhou a nomeação presidencial do Partido Republicano em 2016. Em uma eleição complicada, com um estado majoritariamente conservador e um adversário político experiente, Beto fez uma ótima campanha e conseguiu 48,3% dos votos. Claro que os US$ 30 milhões de dólares a mais de sua campanha em relação a de Ted Cruz podem ter ajudado, mas ainda assim é um resultado bastante expressivo, já que o Texas não elege um senador democrata desde 1988.

Seu carisma também é notório. Beto foi membro de uma banda de punk rock na juventude, fato explicativo ao entusiasmo do eleitorado jovem com seu nome. Por simpatizantes e adversários, é tido como um político jovem, carismático e charmoso, conquistando como ninguém as massas.

Suas posições políticas estão mais que de acordo com o novo perfil do Partido Democrata. Trata-se de um progressista com viés estatizante econômico, e evoca posições antiamericanas típicas da geração millennials. É algo que pode ajudá-lo a fazer o eleitor democrata sair de casa e votar, uma vez que o pragmatismo centrista marqueteiro de Hillary Clinton e suas ligações com a corrupção do establishment de Washington afastou muitos eleitores ligados a extrema esquerda. Beto é favorável a legalização da maconha – é coautor de um livro que defende exatamente isso. Com o Green New Deal gerando uma enorme polêmica na política americana, foi um de seus grandes defensores. ‘’É a melhor proposta que já vi para que este planeta não aqueça mais dois graus Celsius, após o que podemos perder a capacidade de viver em cidades como El Paso’’, disse Beto ao BuzzFeed, empresa americana de mídia com viés de extrema esquerda.

O anti-trumpismo é o fator considerado a cereja do bolo para Beto O´Rourke. Enquanto o presidente Donald Trump discursava em El Paso e falava sobre a necessidade da construção de um muro na fronteira, Beto estava em outro lugar na mesma cidade falando para uma multidão apresentando o outro lado da história. O mesmo já fez coro por um processo de Impeachment contra Trump, pauta favorita dos democratas mais jovens, embora nada mostre uma luz de viabilidade para tal.

Quando Barack Obama derrotou John McCain e Mitt Romney nas eleições de 2008 e 2012, os republicanos pensaram no que deu errado e concluíram algo muito simples: nada de moderados com discurso de centro-direita. Os portais conservadores repetiram tal sentença em uníssono no começo das prévias republicanas em 2015. Surgiu Donald Trump, um candidato anti-establishment, sem papas na língua e que não soava nada moderado. Com seu jeito agressivo de fazer campanha, Trump lidou muito bem com os bastidores sujos e a máquina de moer do Partido Democrata e venceu.

A derrota de Hillary Clinton em 2016 fez com que alguns democratas pensassem na possibilidade da derrota estar relacionada ao discurso centrista pragmático demais de Hillary, e com a crescente radicalização do Partido Democrata – pautas socialistas e antiamericanas como plataforma política -, os moderados estão cada vez mais se afastando do Partido. O nome para 2020 parece carregar consigo a personificação da mutação democrata, e na prática soará mais radical também.

Por mais que Donald Trump tenha conseguido diversas conquistas em seu mandato e tenha uma aprovação popular de 52%, sua derrota é possível e o Deep State move-se para tirá-lo da Casa Branca. Beto O´Rourke surge como um nome forte para desbancar o republicano. Sua trajetória política, seu perfil carismático, as tendências antiamericanas do Partido Democrata e o provável apoio do establishment americano dá bons motivos para sonhar com uma vitória em 2020.

O próprio Beto foi comparado a Obama. Há muitas similaridades entre os dois. Se o texano punk metido a ícone jovem chegará na Casa Branca, isso ainda não dá para cravar. Mas a chance existe. E não pode ser descartada.

Referências: [1][2][3][4][5]

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...