Bill De Blasio e o ataque a propriedade privada em Nova York

Artigo escrito pelo colaborador Carlos Júnior.

Para quem acompanha política americana da forma que eu acompanho, certas coisas não se mostram novidade alguma. A simpatia que grande parte dos brasileiros tem por Barack Obama – justificada apenas pela bajulação que salta aos olhos da grande mídia – é algo incrível, visto que o povo brasileiro é majoritariamente conservador. Exceto para quem acompanha, óbvio.

Que os políticos do Partido Democrata mostrem desprezo pelo capitalismo de livre mercado e transformaram o Estado em um gigante em cidades e estados que governam, isso também não é surpreendente. Mas a nova proposta do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, de apreender prédios de proprietários que forçam a saída de inquilinos é um sinal de que a coisa foi e está indo longe demais.

De Blasio é desonesto e segue a linha de seus pares ao colocar foco na política nacional – ao invés de preocupar-se com os problemas e desafios de sua cidade -. Isso é um fato. Nova York é uma cidade importante e, segundo as próprias leis, deve ter uma autonomia necessária frente ao poder central. Culpar os outros sempre parece ser a melhor escolha.

A proposta surgiu no seu discurso do estado da cidade. ‘’Quando um proprietário tenta expulsar um inquilino, tornando sua casa inabitável, uma equipe de inspetores e policiais estará no local para detê-lo a tempo’’, disse o prefeito. Não, meus caros. Não estou falando de um caso numa republiqueta latino-americana. Estou falando de uma das mais importantes cidades dos Estados Unidos da América, a terra da liberdade, do capitalismo e do livre mercado.

Os republicanos ficaram estarrecidos com a fala do prefeito. ‘’Minha primeira reação foi: é a Cuba comunista?’’, disse Nicole Malliotakis, deputada estadual por Nova York que concorreu à prefeitura da cidade contra o próprio De Blasio. ‘’Isso é extremo até para o prefeito De Blasio, porque sabemos que ele tem inclinações socialistas, mas isso é comunismo franco e eu acho que é muito assustador para as pessoas que amam a democracia’’, conclui a deputada.

Ela tem toda razão. As inclinações socialistas dele são bem conhecidas – ainda mais quando a pauta econômica é levada em discussão. O próprio já disse uma vez que o obstáculo ao progresso econômico é a propriedade privada. Essa é a opinião do prefeito da cidade que é o centro financeiro mundial, a cidade de Wall Street e o coração do capitalismo americano. A incompatibilidade é visível.

“Eu acho que as pessoas de toda a cidade, de todas as origens, gostariam de ter o governo da cidade capaz de determinar qual prédio vai onde, quão alto será, quem vai morar nele, qual será o aluguel. Eu acho que há um impulso socialista, que eu ouço todos os dias, em todo tipo de comunidade, que eles gostariam que as coisas fossem planejadas de acordo com suas necessidades”. Nem mesmo os democratas mais moderados conseguiram engolir essa fala.

De Blasio realmente acredita nisso. Tanto que já em 2017 deixou claro sua vontade de interferir mais no preço de aluguéis e preços das residências – em uma das cidades mais caras do mundo. Em seus malucos sonhos, a casta nova-iorquina de burocratas e servidores irá selecionar e decidir onde os cidadãos poderão morar. E pior: dá a entender que a solução para o problema que ele mesmo agrava é mais intervenção estatal na propriedade privada.

Quando fiz um artigo sobre o principal mal que Barack Hussein Obama deixou aos EUA, dei um destaque também para a pauta econômica. O incompetente e pior presidente da história americana teve em seu mandato um número de 46 milhões de americanos recebendo vale alimentação. Uma massa de dependentes do welfare state é tudo o que os políticos democratas querem, pois, uma vez nessa situação, dificilmente irão sair dela e conseguir no meio privado um bom emprego e a independência do estado. Mais votos para o Partido Democrata.

Friedrich Hayek, o grande austríaco detentor de um Prêmio Nobel de Economia (1974), disse em seu livro ‘’Arrogância fatal’’: ‘’A curiosa tarefa da economia é demonstrar aos homens o pouco que eles realmente sabem sobre o que imaginam que podem planejar’’. Espero que alguém relembre ao prefeito De Blasio as sábias lições do austríaco antes que a deputada Malliotakis esteja correta em seu diagnóstico apocalíptico.

Referências:

[1] [2] [3] [4] [5]

Artigo escrito pelo colaborador Carlos Júnior.

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe seu comentário...