Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

BNDES eleva rigor na checagem de antecedentes de diretores

BNDES eleva rigor na checagem de antecedentes de diretores
COMPARTILHE

Enquanto tramita no Congresso projeto que quer permitir a volta de indicações políticas nas estatais, o BNDES endurece o processo de verificação da integridade de assessores externos e membros de órgãos do banco e de suas subsidiárias.

É o chamado background check (checagem de antecedentes).

A nova regra entra em vigor no momento em que o BNDES se prepara para receber novas equipes, com a troca do presidente Dyogo Oliveira por Joaquim Levy no governo Jair Bolsonaro.

Além de assessores externos, a norma vale para cargos de presidente, diretor e membros dos conselhos de administração e fiscal e de comitês.

Nas últimas semanas, desde que a prática começou a ser adotada, cerca de 25 pessoas já passaram pelo processo. A expectativa é que o número dê um salto com a transição.

Além da análise dos requisitos técnicos para a vaga e do currículo do indicado, serão monitoradas notícias sobre ele, a fim de verificar se há risco à imagem do banco. O surgimento de notícias negativas mesmo após a contratação pode levar a nova avaliação.

O banco também vai vasculhar informações como eventuais participações acionárias detidas pelo profissional, ações judiciais na quais ele esteja envolvido e sanções já aplicadas por órgãos de controle.

Adaptado da fonte Globo

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários