Bolsonaro confirma que óleo afetando praias do Nordeste não é brasileiro

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Manchas atingiram 132 localidades em 61 municípios. Marinha do Brasil monitora navios para identificar origem do óleo.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, se reuniu, nesta segunda-feira (7), com ministros e comandantes das Forças Armadas na sede do Ministério da Defesa.

A pauta da reunião foi o aparecimento de manchas de óleo em praias do Nordeste, que estão sendo analisadas pelas autoridades desde o dia 2 de setembro.

Após o encontro, Bolsonaro disse a jornalistas que trata-se de uma investigação “bastante complexa” e frisou que o óleo não é produzido e nem comercializado no Brasil:

“Pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. Agora, é complexo. Temos, no radar, um país que pode ser o da origem do petróleo e continuamos trabalhando da melhor maneira possível.”

De acordo com o site G1, participaram presencialmente da reunião em Brasília os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Augusto Heleno (Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e os comandantes Edson Leal Pujol (Exército) e Antonio Bermudez (Aeronáutica).

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o comandante da Marinha, Ilques Barbosa, participaram da audiência por videoconferência. Salles está em Sergipe, para onde viajou a fim de fazer um sobrevoo pelo litoral. Ilques Barbosa está no Rio de Janeiro.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.