Bolsonaro diz que Cuba não tem interesse na liberdade dos seus médicos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Por meio do Twitter, Bolsonaro reafirmou que pretendia impor teste a profissionais cubanos, salário integral a eles e liberdade às suas famílias.

O presidente eleito Jair Bolsonaro reagiu ao anúncio da ditadura de Cuba de que deixará de participar do programa Mais Médicos.

Por meio de sua conta no Twitter, como tem sido usual em comunicados de Bolsonaro, o militar reafirmou as condições que imporia para manter o programa em sua gestão e disse que “infelizmente, Cuba não aceitou”.

Na tarde desta quarta-feira (14), Cuba justificou o fim do programa Mais Médicos aos comentários “ameaçadores e depreciativos” do novo presidente do Brasil.

A ditadura cubana tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham atualmente no País, conforme noticiou a Renova Mídia.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.