Bolsonaro e os verdadeiros culpados

Vivemos em uma época onde os valores cristãos estão em decadência acentuada. Durante anos a Igreja Católica foi um poder quase único, teve uma influência em diversos aspectos das vidas dos que viveram e ditava as normas do código moral a ser cumprido. Certas práticas modernas existiam em épocas passadas, mas de forma bem reduzida e sem encontrar defensores fervorosos.

Essa hegemonia da Igreja encontrou diversos obstáculos e indivíduos poderosos com uma tremenda vontade de tirá-la do centro. No começo, tentou-se a briga política. Depois, veio a contestação de suas doutrinas e o estímulo a práticas e valores opostos aos da Igreja. A modernidade é a condensação da retirada do Deus transcendente que age na história para a colocação de ideias humanas sem pé nem cabeça.

O resumo que apresentei ao leitor é muito curto e até mesmo incompleto, mas pode dar uma luz para o nosso presente. O Brasil de ontem, com suas tradições luso-católicas, morreu. O novo Brasil, forjado no golpe da República e na Era Vargas, tem como símbolos nacionais máximos o samba, o futebol e o carnaval. Sobre o último recai a mais nova polêmica envolvendo o presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro compartilhou em seu twitter um vídeo que nada mais é que um resumo de coisas caras ao carnaval brasileiro. Sem entrar em detalhes, parece óbvio para qualquer brasileiro médio a incompatibilidade do visto no vídeo com sua realidade. A coisa destoa tanto da normalidade que o simples acontecimento deveria ser tratado com horror, espanto, indignação com sua ocorrência. Estariam a ‘’nossa’’ mídia e demais formadores de opinião indignados também?

Sim. Mas com o fato? Não. Estão todos indignados com o presidente que denunciou o fato, e até mesmo pedem sua cabeça enxergando na sua denúncia algo que seja passível de impeachment. A esquerda – a mesma que promove a destruição dos valores cristãos, ocidentais e sonha com um Brasil na vanguarda de tal nefasto processo – foi rápida em condenar Bolsonaro, com faz com qualquer inimigo seu. Como é ótima em fingir indignação, também faz coro por um impeachment.

Há uma clara inconsistência aqui. Se a esquerda e seus lacaios militantes estão enfurecidos com o tuíte de Bolsonaro, é porque há algo de muito errado nele. Contendo algo de errado, deveríamos nos perguntar quem é o responsável por tal ato nefasto acontecer. Ao fazer esse simples caminho lógico chegaremos na inescapável conclusão de que a esquerda – a mesma que finge indignação com o fato – é a única que tem culpa no cartório.

Lembram do meu breve resumo sobre a perca da hegemonia cristã no Ocidente? Ela começou com os inimigos do catolicismo, que passaram o bastão para os revolucionários franceses e russos. No Brasil veio sob a forma de gramscismo e marxismo cultural, penetrando em todos os aspectos da vida pública e criando uma uniformidade de pensamento. Assim, a população brasileira – fortemente cristã católica – acabou por aceitar certos valores opostos aos que ela acredita.

A hegemonia de pensamento já produziu seus efeitos nocivos em nosso país: nos colocou de corpo e alma no eixo terceiro-mundista antiamericano, fez o anticapitalismo ser a regra nos debates econômicos, tornou o petismo uma espécie de religião ao apresentar no criminoso Lula um aspecto messiânico e jogou o Brasil em um mar de lama progressista revolucionário anticristão. Depois de décadas sendo a lata de lixo das ideias políticas advindas da Europa, não será tarefa simples voltar às nossas tradições e ao verdadeiro Brasil.

Jair Bolsonaro é o primeiro presidente desde muito tempo a querer fazer do Brasil um país próspero, livre e próximo de seus valores reais. Como tal, enfrenta a fúria de poderosos e militantes que nele enxergam uma ameaça. A grande mídia, inimiga declarada do presidente, presenteia-o com calúnias diárias para tentar manchar sua reputação. O caso do vídeo no twitter é a ponta do Iceberg, garanto a vocês.

Vídeo que, aliás, é a prova simbólica da inversão de valores no Brasil: quem cometeu crime foi o presidente Bolsonaro, que denunciou o fato, e não seus inimigos, que são os grandes responsáveis pelo acontecimento do fato denunciado. Para muitos nem foi denúncia, é coisa normal, típica do carnaval brasileiro. Sinal de que a imbecilidade e a burrice no Brasil estão em níveis inacreditáveis.

Referências: [1][2][3] [4][5]

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Share on twitter
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe seu comentário...