Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Bolsonaro explica decisão sobre cobrança das bagagens em voos

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Bolsonaro explica decisão sobre cobrança das bagagens em voos

Presidente diz que costumava viajar sem mala e que pagava “pelos outros”. Trecho de MP que determinava gratuidade de bagagens de até 23 quilos em voos domésticos foi vetado.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que empresas aéreas alegaram que a gratuidade nas bagagens em voos seria um “empecilho” para o setor.

Segundo o chefe do Executivo, não há “problema nenhum” em pagar para voar com bagagens acima de 10 quilos.

Os comentários de Bolsonaro são uma explicação ao veto que fez, na segunda-feira (17), a um trecho de uma medida provisória (MP) que permite 100% de participação estrangeira em companhias aéreas do Brasil.

“Com todo o respeito, quer fazer uma viagem e vai usar mais, vai levar mais de 10 quilos, acho que… Se quer levar mais de 10 quilos, pague, pô, sem problema nenhum”, afirmou Bolsonaro, nesta terça-feira (18), segundo o site G1.

Com o veto deste trecho da MP, as aéreas poderão voltar a cobrar pelas bagagens despachadas, ficando os passageiros isentos apenas de bagagens de mão até 10 quilos.

Questionado por jornalistas sobre o motivo do veto, Bolsonaro explicou que as empresas apontaram que a cobrança seria um “empecilho”:

“As empresas menores alegavam que seria um empecilho. Você faz as contas. Eu fiz uma conta para um avião com 200 pessoas, 20 quilos a mais para cada um, é um gasto a mais. O que acontece, eu sempre viajei sem mala no avião. Então, eu estaria pagando pelos outros.”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email