Português   English   Español

Bolsonaro garante que futuro PGR não será do MP militar

Bolsonaro afirmou que maior parte do Ministério Público é isenta, mas disse que não utilizará lista tríplice de entidade de procuradores se nomes forem vinculados à esquerda.

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) falou nesta terça-feira (16) sobre como pretende combater a corrupção.

Ele disse que a maior parte do Ministério Público é isenta, mas não se comprometeu a escolher o futuro procurador-geral da República de uma lista tríplice, caso os nomes sejam comprometidos com a esquerda. No entanto, ele anunciou que o nomeado não será do Ministério Público Militar.

O deputado federal falou sobre a escolha do seu futuro PGR:

O critério é a isenção. É alguém que esteja livre do viés ideológico de esquerda, que não tenha feito carreira em cima disso. Que não seja um ativista (…). Eu quero alguém no MP, caso eu seja presidente, deles – obviamente, não vai ser do Ministério Público Militar, como tem sido dito por aí –, mas que tenha realmente uma visão macro e que respeite também a Constituição e os parlamentares que têm imunidade por suas opiniões, palavras e votos.

Bolsonaro também defendeu as 10 medidas propostas pelo Ministério Público para combater a corrupção, admitiu que vai ser difícil aprová-las, mas afirmou que vai aproveitar a renovação do Congresso.

O capitão reformado do Exército declarou:

Qualquer coisa é difícil. As 10 medidas que atingem diretamente os parlamentares. Tem muito parlamentar aí que, quando se abrir, suspender o sigilo das delações, vão estar envolvidos e eles, naturalmente, trabalham contra isso. Se bem que tivemos uma excelente renovação em Brasília, talvez possamos aproveitar essa garotada, esse pessoal mais novo que está chegando lá e aprovar o máximo possível das 10 medidas de combate à corrupção.

 

Adaptado da fonte G1

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...