Bolsonaro pode revogar asilo concedido por Lula para militantes esquerdistas

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A informação da revogação dos asilos foi confirmada pelo Ministério do Interior do Paraguai nesta quinta-feira (25).

Paraguai confirmou que o Brasil iniciou o processo de revogação do asilo político concedido durante o governo do ex-presidente Lula da Silva (PT) a três ativistas de esquerda paraguaios.

O governo do Paraguai quer a extradição de Juan Arrom, Anúncio Martí e Víctor Colmán.

Ex-líderes do Partido Pátria Livre, os indivíduos são acusados no país de participar do sequestro em 2001 da nora do ex-ministro da Fazenda, Enzo Debernardi, libertada após o pagamento de US$ 1 milhão.

O caso será avaliado pela Comissão Nacional de Refugiados (Conare), a pedido do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, ao presidente da República, Jair Bolsonaro. A decisão deve sair até maio.

O objetivo do governo do Paraguai é pedir a extradição dos três ex-líderes esquerdistas para que eles sejam julgados pela Justiça do país.

Caso o status de refugiado seja retirado por Bolsonaro, caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) determinar a prisão dos três e iniciar a extradição, informa a agência EFE.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.