Bolsonaro prepara decreto para enxugar a máquina pública

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O governo Bolsonaro pretende economizar centenas de milhões anualmente com o corte de milhares de cargos.

O governo do presidente Jair Bolsonaro pretende economizar R$ 209 milhões por ano com o corte de 21 mil cargos comissionados.

A expectativa é de que sejam publicados, ainda neste mês de fevereiro, decretos para reestruturar carreiras e enxugar a máquina.

Além da criação de regras para a ocupação de postos de confiança, o Ministério da Economia vai estabelecer critérios de eficiência operacional que deverão ser cumpridos à risca pelos órgãos antes de realizarem novos concursos públicos para contratação de pessoal.

De acordo com a pasta liderada pelo ministro Paulo Guedes, a iniciativa contribuirá para simplificar a gestão e enxugar a diversidade de cargos e comissões.

Segundo o jornal Metrópoles, a distribuição dos cortes por órgãos e tipos de cargos não foi divulgada. Mas a secretaria informou que pretende extinguir algumas gratificações de legislação muito antiga, algumas que não estão sendo ocupadas e outras de baixo valor individual, que não representam função de chefia.

A mudança que será aplicada pelo governo Bolsonaro não necessariamente significará que 21 mil pessoas serão demitidas. Isso porque a maior parte dos cargos em comissão é ocupada por servidores concursados escolhidos para chefias ou funções de confiança.

Porém, muitos funcionários comissionados verão seus contracheques serem atingidos em cheio.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.