Bolsonaro prevê corte de 43% na Ancine em 2020

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O montante previsto para 2020 é a menor dotação nominal para o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) desde 2012.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, continua exercendo um maior controle do valor investido pelo governo federal com a Ancine (Agência Nacional do Cinema).

Um projeto de lei apresentado ao Poder Legislativo prevê, no ano de 2020, um corte de quase 43% do orçamento do FSA (Fundo Setorial do Audiovisual).

Dessa forma, o valor alocado para o próximo ano ficaria em R$ 415,3 milhões, a menor dotação nominal para o fundo desde 2012, quando ele recebeu R$ 112,36 milhões, informa o jornal Folha de S.Paulo.

O retorno dos investimentos nas produções nacionais é o principal motivo de reclamação do governo Bolsonaro.

Desde dezembro de 2007, quando foi regulamentado o FSA, só seis obras cinematográficas deram retorno acima do aplicado, segundo o mais recente relatório de gestão, ainda de acordo com o jornal.

O Palácio do Planalto chegou a cogitar a extinção da Ancine. Bolsonaro, no entanto, foi convencido de que a medida poderia ser criticada por afetar a regulação do setor.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.