Bolsonaro sugere mais duas parcelas do auxílio-emergencial

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Conversei com o Paulo Guedes. Vamos ter que dar uma amortecida. Vai ter quarta parcela, mas não de R$ 600”, diz Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, admitiu, nesta sexta-feira (22), a possibilidade de que o auxílio emergencial para desempregado e autônomos seja prorrogado.

De acordo com Bolsonaro, o governo federal deve repassar ainda mais duas parcelas do benefício, com um valor inferior a R$ 600.

Durante entrevista¹ à rádio paulista, o chefe do Executivo destacou que as parcelas seriam importantes “para ver se a economia pega”:

“Conversei com o Paulo Guedes. Vamos ter que dar uma amortecida. Vai ter quarta parcela, mas não de R$ 600. Não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400. E talvez a quinta. Talvez seja R$ 300, R$ 200. Até para ver se a economia pega. Não podemos jogar para o espaço mais de R$ 110 bilhões que foram gastos agora dessa forma. Isso vai impactar nossa dívida no Tesouro, e para ver se a economia pega.”

Bolsonaro também reclamou² da atuação dos governadores e lamentou os efeitos na economia causados pela pandemia de coronavírus:

“O estrago que alguns fizeram, precocemente, fechando tudo como se tivesse competição entre uma prefeitura e outra… quem está mais preocupado de defender a vida de quem está lá dentro se esqueceu do segundo problema. É dois problemas para tratar. Há 60 dias venho falando disso daí. O problema da vida, que tem a ver com vírus, e a questão da economia, que é com emprego. Ignoraram. Ficaram 100% na vida.”

Referências: [1][2]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.