Brasil extradita assassino da filha do ex-presidente do Paraguai

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Cecila Cubas tinha 31 anos quando foi sequestrada perto da casa em que vivia, na cidade de San Lorenzo, próxima a capital paraguaia.

Um dia depois de ser extraditado pelo Brasil, o comunista Óscar Luis Benítez será apresentado nesta sexta-feira (27) à Justiça do Paraguai.

Ele é um dos acusados pelo sequestro e assassinato de Cecilia Cubas, filha do ex-presidente paraguaio, Raúl Cubas, ocorrido em 2005, informa o site UOL.

A extradição do cidadão paraguaio já havia sido autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 13 de novembro do ano passado.

A ação que levou à morte de Cecilia teria sido organizada pelo grupo comunista Exército do Povo Paraguaio (EPP), criado em 2008, e ainda ativo no Paraguai. Benítez é apontado como um dos dirigentes da organização.

A filha do ex-presidente foi abordada na cidade de San Lorenzo, próxima a capital paraguaia Assunção, por um grupo de guerrilheiros armados.

O corpo de Cecilia foi encontrado cinco meses depois, em uma cova aberta no terreno de uma casa em Ñemby, localidade da região metropolitana da capital do Paraguai, apesar da família ter pago o resgate de US$ 300 mil.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.