Brasil ignora Maduro e confirma envio de ajuda humanitária

Idiomas:

Português   English   Español
Brasil ignora Maduro e confirma envio de ajuda humanitária
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Porta-voz da Presidência disse que limite de ação do Brasil para levar ajuda humanitária é a faixa de fronteira com a Venezuela.

Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência, convocou uma entrevista coletiva, nesta quinta-feira (21), no Palácio do Planalto para falar sobre a ajuda humanitária que o Brasil pretende enviar à Venezuela.

De acordo com o porta-voz, a ajuda será transportada até Boa Vista e Pacaraima por motoristas brasileiros. A partir da fronteira, os mantimentos serão transportados por motoristas venezuelanos. Caminhoneiros do país vizinho já declararam apoio ao plano.

Mais cedo, entretanto, o ditador venezuelano Nicolás Maduro ordenou o fechamento da fronteira do país com o Brasil, em Roraima.

Em cerimônia nesta quinta, segundo a RENOVA, Maduro afirmou:

“Eu decidi que no sul da Venezuela, a partir da noite de quinta-feira, a fronteira terrestre com o Brasil deve ser totalmente e absolutamente fechada. Melhor prevenir do que remediar.”

Em resposta aos comentários de Maduro, o general Rêgo Barros afirmou:

“Da parte do governo brasileiro, diante da nossa soberania, o limite de ação é a faixa de fronteira. Os fatos, os eventos, as ações desencadeadas além da nossa borda de fronteira são, naturalmente, de responsabilidade do governo venezuelano.”

O porta-voz afirmou que uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) saiu de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, com 22,8 toneladas de leite em pó.

A aeronave pousou em Brasília na noite desta quinta para ser abastecida com 500 kits de primeiros-socorros e seguirá até Boa Vista, registra o G1.

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque