Brasil não adotará sanções unilaterais à Venezuela

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Apesar da pressão da oposição venezuelana, o governo brasileiro não deve adotar sanções contra indivíduos na Venezuela, disse nesta sexta-feira (13) o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, em visita a Lima, no Peru.

O chanceler disse que, no entanto, levanta informações sobre possíveis crimes cometidos por pessoas ligadas à ditadura de Nicolás Maduro no Brasil para agir, se for o caso.

Aloysio teve um encontro na manhã desta sexta com líderes da oposição venezuelana, como o ex-prefeito de Caracas Antonio Ledezma e o deputado e ex-presidente da Assembleia Nacional Julio Borges.

De acordo com informações do G1:

“Nós não temos sanções unilaterais na prática brasileira. Nós só aplicamos sanções dentro de organismos multilaterais”, esclareceu o ministro.

Ainda assim, o governo brasileiro está fazendo um pente fino em movimentações financeiras que podem ser consideradas suspeitas e em movimentos de venezuelanos no Brasil para agir caso sejam detectadas irregularidades.

“Queremos informações dos venezuelanos de ações ilegais que estejam ocorrendo no território brasileiro para que possamos tomar medidas”, disse o ministro, ressaltando que o país não adotará sanções unilaterais.

“Ilegalidades, violadores de direitos humanos que sejam sancionados por organismos internacionais, corrupção, movimentação clandestina de dinheiro, para que a gente possa tomar medidas dentro da legislação brasileira”, disse.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.