Brasil quer ser mediador do conflito entre Guiana e Venezuela

Idiomas:

Português   English   Español
Brasil quer ser mediador do conflito entre Guiana e Venezuela
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O governo do Brasil reiterou neste sábado (12) sua posição para que o conflito territorial entre Guiana e Venezuela se resolva de maneira pacífica.

As duas nações da América do Sul estão há muito tempo se enfrentando em uma disputa por território.

O Brasil se ofereceu para atuar como mediador “quando houver um governo legítimo” em Caracas, mas também fez um chamado para que “as partes evitem ações capazes de pôr em risco a paz e a segurança na região”.

Recentemente, um navio da Marinha da Venezuela expulsou duas embarcações da companhia Exxon Mobil, que exploravam as águas em parceria comercial com o governo da Guiana.

O Ministério das Relações Exteriores, em nota divulgada neste sábado (12), afirmou:

O Governo brasileiro reitera ao povo venezuelano e às autoridades legítimas da Venezuela seu compromisso de favorecer a solução pacífica da controvérsia territorial entre a Venezuela e a Guiana.

Dias atrás, o ditador venezuelano Nicolás Maduro ordenou que o alto comando venezuelano preparasse exercícios militares. O líder chavista alega que a região pertence a Venezuela.

O Brasil também se ofereceu a mediar um diálogo entre as duas nações, mas apenas quando houver um governo “legítimo” na Venezuela.

Em nota, segundo a agência “EFE“, a Chancelaria brasileira afirmou:

O Governo brasileiro estará pronto a contribuir junto à Venezuela para um diálogo frutífero com a Guiana, e vice-versa, quando haja um governo legítimo em funcionamento em Caracas.

O Brasil já tinha anunciado sua posição de buscar uma solução pacífica para o conflito territorial entre Venezuela e Guiana, em uma declaração conjunta do Grupo de Lima.

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque