Brasil rejeita pedido de ex-líderes europeus a favor do detento Lula

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O governo do Brasil rejeitou nesta quarta-feira (16) o apelo “arrogante e anacrônico” de seis ex-chefes de Estado e de governo europeus a favor da participação nas próximas eleições do ex-presidente Lula.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, escreveu em um comunicado:

Recebi, com incredulidade, as declarações de personalidades europeias que, tendo perdido audiência em casa, arrogam-se o direito de dar lições sobre o funcionamento do sistema judiciário brasileiro.

Nunes ressalta que a legislação brasileira exclui das disputas eleitorais pessoas condenadas em segunda instância e acrescenta que os signatários, “ao sugerirem que seja feita exceção ao ex-presidente Lula, esses senhores pregam a violação do Estado de direito”.

O chanceler do Brasil concluiu:

Fariam isto em seus próprios países? Mais do que escamotear a verdade, cometem um gesto preconceituoso, arrogante e anacrônico contra a sociedade brasileira e seu compromisso com a lei e as instituições democráticas.

O apelo em favor do petista foi assinado por:

  • Ex-presidente francês François Hollande
  • Ex-primeiro-ministro socialista belga Elio Di Rupo
  • Ex-presidentes do Conselho italiano social-democratas Massimo d’Alema, Enrico Letta e Massimo Prodi
  • Ex-chefe do governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.