Brasileiros: saiam da inércia e abandonem o conformismo

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Mudar o comportamento, os costumes e o modo de ver e viver situações de uma sociedade não é tarefa simples; exige organização, estratégia e muita disposição em pôr o plano em prática. É sabido por todos que nenhuma realidade se altera sozinha sem a ação efetiva de algo ou alguém.

Um dos princípios básicos da física é conhecido como LEI DA INÉRCIA. Essa lei nos faz saber que, nenhum objeto é posto em movimento ou é parado sem que aja a quebra da inércia. Trazendo isso à realidade da sociedade, nenhuma transformação é possível sem a ação efetiva das pessoas; a realidade não se modifica para melhor ou pior sem que a sociedade quebre a inércia. Nada nos dias atuais causa mais repulsa e tristeza ao cidadão do que assuntos relacionados com a política. Todos os dias novos escândalos são trazidos à luz e, até mesmo a última estância da justiça nacional (STF) que, em tese, deveria zelar e aplicar a lei, acabam prostituindo a constituição em nome de favorecimentos pessoais. O assunto relacionado à política está na boca do povo; no ônibus, táxi, empresas, filas de banco, redes sociais, entre amigos e familiares, todos debatem em diferentes níveis esse assunto.

Debater o assunto é algo importante e sadio. Demonstra que a população de algum modo está mais atenta às nuances do cenário político nacional. Porém ainda está aquém de verdadeiramente conhecer os bastidores do jogo político. Infelizmente para a esmagadora maioria do povo a única fonte de informação vem da grande mídia (TV, rádios, jornais e internet). O problema da grande mídia é que ela atende a seus próprios interesses comerciais e, para não perder patrocinadores, acaba omitindo ou tirando relevância de assuntos chave para a compreensão dos fatos reais. Tanto isso é verdade, que o maior patrocinador das emissoras de televisão é o governo federal. Logo, a mídia até fala dos fatos, mostra a ponta do iceberg, sem nunca mostrar o problema real. Já escrevi diversas vezes e continuarei a escrever: a única forma de entender o cenário real do mundo é através dos livros. Infelizmente em nosso país as pessoas nutrem uma espécie de aversão ao conhecimento e aos livros. Não querem de maneira alguma ter o esforço de conseguir a informação. Preferindo no lugar disso, receber a informação da mídia que, como já expliquei, muitas vezes vem distorcida por interesses diversos, seja comercial ou até mesmo político-ideológico.

O que sabemos é que a política de modo geral está corrompida e muito distante de estar representado a nós, o povo, os verdadeiros chefes. Sabemos também que existem dois mundos, o mundo real, e o mundo dos políticos. Isso por si só é uma aberração. É preciso que as coisas voltem ao centro da normalidade, ou seja, que a população mande e os políticos acatem, e não o contrário como ocorre hoje. Também sabemos da importância da renovação dos quadros políticos na esfera municipal, estadual e federal. Pois bem, sabemos do básico para começarmos a mudança. A questão a ser debatida é: Por que não mudamos? Por que a política piora ou invés de melhorar? Por que parece que os processos no Brasil estão fadados a serem iguais sempre? Por que o país não assume seu lugar de destaque no mundo? Sempre seremos o país do futuro? Esse futuro chegará? Quando? Como?

Desculpe se confundi sua cabeça com tantas questões, entretanto elas são fundamentais para quebrar a inércia de seu pensamento que, seguramente, está engessado — essa afirmação se aplica às pessoas que apenas se abastecem de informações da grande mídia. Vou tentar, dentro de minhas limitações, responder as perguntas feitas acima.

Por que não mudamos? A maioria das pessoas está condicionada a pensar e agir de um modo quase mecânico. Segue a opinião da maioria sem nunca se questionar a razão de fazerem isso. Quebrar a inércia do pensar é fundamental.

Por que a política piora ou invés de melhorar? Simples, o povo está acorrentado no conformismo. A frase: “Político é tudo ladrão”, é quase criminosa. Expressa a incapacidade de discernir entre bons e maus, e com isso nivela todos a um padrão negativo. Se todos são ladrões, por qual razão você escolhe candidatos? Ao dar de ombros para a política, você ajuda a manter o nível baixo e a piorá-lo, uma vez que continua a votar nas mesmas pessoas das quais passa quatro anos reclamando.

Por que parece que os processos no Brasil estão fadados a serem iguais sempre? Pela mesma razão da resposta acima. Nada mudará enquanto você se render ao conformismo. Somente rompendo a inércia será possível mudar os processos.

Por que o país não assume seu lugar de destaque no mundo? Mais uma vez a resposta está calcada no conformismo do povo. Enquanto a população não ter ciência de que faz parte do processo e de que deve fazer valer sua vontade, o Brasil sempre será o que é hoje.

Sempre seremos o país do futuro? Enquanto a inércia for o norte do povo, sim.

Esse futuro chegará? Isso depende exclusivamente de você. Você quer fazer a diferença ou ser apenas mais um entre milhões?

Quando? Quando você criar consciência de que tem culpa do país ser assim e, quando mudar seu comportamento como cidadão. Ser cidadão é muito mais que obedecer à lei e pagar impostos.

Como? Quebre a inércia, saia do conformismo e estude verdadeiramente história e política. A melhor maneira de ajudar sua pátria é você desenvolver-se intelectualmente. Saber a razão das coisas e não ser enganado por um discurso populista e simpático é de uma importância fundamental no desenvolvimento do país. Se tiver disposição filie-se em algum partido político e concorra aos cargos. Tire o lugar do ladrão e faça boa política; crie bons projetos e barre os ruins. Seja o espelho para os mais jovens, seja a fonte de inspiração para os bons e o inimigo dos maus. Mas acima de tudo, SAIA DA INÉRCIA!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.