Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Bretas defende perícia em conteúdo divulgado pelo Intercept

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Bretas defende perícia em conteúdo divulgado pelo Intercept

“Ainda que se preserve a fonte, é importante que se apresente as mídias originais”, afirmou o juiz Bretas.

O juiz federal Marcelo Bretas defende uma perícia nas conversas atribuídas ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da Lava Jato, divulgadas pelo site Intercept.

Responsável pela Lava Jato no Rio, Bretas participou do programa Em Foco, na GloboNews, que vai ao ar nesta quarta-feira (26), às 21h30.

De acordo com o blog da Andréia Sadi, o magistrado falou sobre os supostos diálogos:

“Enquanto isso não for periciado, ainda que se preserve a fonte, o sigilo da fonte, porque é importante para a democracia, para a liberdade de imprensa, a fonte é um traço importante. Ainda que se preserve a fonte, é importante que se apresente as mídias originais, não sei, ou o que foi conseguido, para que seja periciado, porque senão coloca-se o que quiser, o diálogo que quiser, naquela formatação que estaria nas mídias, ou sei lá onde, e o outro lado simplesmente não tem defesa.”

Bretas também falou sobre uma eventual indicação ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Questionado se ele era o evangélico a que o presidente se refere, quando diz que falta um ministro da religião na Corte, o juiz respondeu:

“Não sei. Aí você precisa perguntar ao presidente Bolsonaro.”

Questionado, então, se ele gostaria de ser, Bretas não titubeou:

“Isso é o sonho de qualquer juiz”.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias