Buraco na camada de ozônio regrediu 20%

Cientistas dos Estados Unidos obtiveram imagens de satélite comprovando que o buraco na camada de ozônio está regredindo.

Segundo um comunicado da agência espacial norte-americana NASA, dados revelam uma reversão de aproximadamente 20% no buraco na camada de ozônio na Antártica.

A reversão resulta, de acordo com os cientistas da NASA, da redução de cloro na camada de ozônio, em consequência da interdição do uso de químicos que contêm cloro, como os clorofluorcarbonetos.

Os dados publicados nesta sexta-feira (05/01) na revista científica Geophysical Research Letters foram obtidos através do satélite Aura.

As alterações na espessura da camada de ozônio na Antártica foram registadas diariamente entre 2005 e 2016.

 

Com informações de: (1)
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *