Camponeses armados se rebelam contra regime Ortega na Nicarágua

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Quatro policiais e um manifestante morreram nesta quinta-feira (12) em um confronto no município de Morrito, no sudeste da Nicarágua.

O país enfrenta protestos contínuos contra o presidente esquerdista Daniel Ortega nos últimos três meses. Até o momento, a repressão governamental já causou a morte de mais de 260 pessoas, informou o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh).

As mortes no confronto ocorreu quando manifestantes passaram próximo ao comando policial de Morrito, município do departamento de Rio San Juan, durante a jornada de protestos convocada pela Aliança Cívica pela Justiça e a Democracia.

A líder do movimento camponês, Francisca Ramírez, integrante da Aliança Cívica, revelou que os manifestantes foram “atacados por agentes e paramilitares” que estavam no comando, e responderam aos tiros.

A Polícia não informou o que ocorreu, mas tem acusado com frequência os manifestantes de pertencer a “bandos de delinquentes” que cometem assassinatos, roubos e sequestros.

Morrito, com cerca de 6 mil habitantes, é um município onde vários camponeses andam armados para proteger suas propriedades e está localizado 230 km a sudeste de Manágua, na rota onde o governo pretende construir um canal interoceânico rejeitado pela população local.

Um dos policiais mortos em confrontos na Nicarágua
Com informações de AFP

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.