Capital da Espanha enfrenta problemas para enterrar mortos por coronavírus

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Madri é a região da Espanha mais afetada pela pandemia do coronavírus;

As empresas funerárias em Madri, capital da Espanha, estão saturadas em meio ao alto número de vítimas fatais da pandemia da nova variante de coronavírus.

O governo espanhol passará a utilizar o Palacio de Hielo, um centro comercial com pista de patinação no gelo, como uma alternativa de necrotério para os corpos de algumas pessoas que morreram devido à Covid-19.

Nesta terça-feira (24), a Espanha superou a casa das 2,6 mil mortes pela doença transmitida pelo novo coronavírus. 

Além disso, quase 40 mil pessoas estão infectadas com o coronavírus, segundo dados do Ministério da Saúde.

A decisão de abrigar os corpos no Palacio de Hielo foi apoiada pelo prefeito de Madri, José Luis Martínez-Almeida, informa a agência EFE.

Recentemente, o prefeito havia informado ao governo nacional que a funerária municipal, que administra 14 cemitérios, não recolherá os corpos dos mortos por coronavírus devido à falta de equipamentos de proteção individual para seus trabalhadores.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.