Português   English   Español

Cardeais da Alemanha criticam Sínodo da Amazônia

Cardeais da Alemanha criticam Sínodo da Amazônia
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Religiosos alemães dizem que o evento do Vaticano sobre a Amazônia seria uma desculpa para tratar de política, abolição do celibato e sacerdócio feminino.


As críticas de cardeais da Alemanha ao Sínodo da Amazônia e indiretamente ao papa Francisco deverão tumultuar o encontro em Roma, que será realizado entre os dias 6 a 27 de outubro.

A reunião de alguns dos principais nomes da Igreja Católica, já alvo de críticas do governo Jair Bolsonaro, também vira palco do confronto interno em relação ao atual pontificado.

O prefeito emérito da Congregação para a Doutrina da Fé (1912-1917), Gerhald Muller, de 71 anos, e seu colega Walter Brundemuller, de 90 anos, disseram que o documento sobre o Sínodo contém heresia, estupidez e apostasia, informa o jornal Estadão.

Muller reforçou suas objeções aos conceitos defendidos pelo sínodo sobre a Amazônia:

“A cosmovisão dos povos indígenas é uma concepção materialista semelhante ao marxismo e não é compatível com a doutrina cristã.”

O cardeal Brundemuller acrescentou:

“É impossível esconder o fato de que esse sínodo é particularmente adequado para implementar dois dos projetos mais ambiciosos e que nunca foram implementados até agora: a abolição do celibato e a introdução de um sacerdócio feminino, a começar por mulheres diaconisas.”

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...