Cármen Lúcia diz que julgamento foi interrompido para evitar exaustão

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A presidente do Supremo Tribunal Federal, a ministra Cármen Lúcia, afirmou na manhã desta sexta-feira (23) que o julgamento do HC preventivo do petista Lula foi interrompido para respeitar os limites físicos dos ministros da corte.

Ao ser questionada se estava satisfeita com o desfecho da sessão, Cármen Lúcia respondeu:

Não há nem o caso de satisfação, era uma circunstância que se impõe diante de um horário e das condições dos juízes para que, se houvesse uma continuidade e se alongassem demasiadamente, isso sobrecarregaria provavelmente com consequências até pela capacidade física, e teria que ter continuidade na próxima sessão para que o julgamento seja justo, sereno, tranquilo, como tem que ser.

A ministra também negou que haja tratamento especial para Lula ou que o julgamento do habea corpus tenha sido colocado na dianteira da fila, mas seguiu a urgência deliberada pelo ministro relator, Edson Fachin, uma vez que o TRF-4 julgará na segunda-feira (26) os recursos da defesa de Lula no caso do tríplex em Guarujá.

 

Com informações de: [Folha]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.